José Dantas Lima

 

José Dantas Lima




 

 

 

Alberto do Vale Loureiro



Excerto do texto publicado n’O Anunciador das Feiras Novas – Ano XXXVI, 2019

José Dantas Lima – José Dantas Lima Pereira – nasceu na freguesia de Moreira do Lima, concelho de Ponte de Lima, no ano de 1951, sendo Licenciado em Design e Produção Teatral pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, do Instituto Politécnico do Porto.

Movido pelo fascínio da representação teatral decide abraçar esta nobre arte, a ela se entregando com denodado empenho ao longo da sua vida, como o comprova o seu rico e vastíssimo curriculum, ao qual, em jeito de complemento, acrescenta a ideia de levar por diante o desenvolvimento de um projeto vocacionado para as artes tradicionais. Este desígnio tornou-se viável em 1978, nomeadamente com a construção e apresentação de cabeçudos no teatro de revista «Pobre Zé», em Viana do Castelo, destacando-se, desde então, como defensor das artes tradicionais, sobretudo na construção de cabeçudos, gigantones, fantoches e formas animadas.

Deste trabalho, iniciado por Dantas Lima, resultou a fundação de uma pequena empresa com a designação de RIPECA.

As perspetivas de sucesso afiguravam-se seguras, não tardando o surgimento de resultados animadores, de tal modo surpreendentes que, além do fornecimento de várias figuras para eventos e projetos, teve especial relevância a construção de 13 “cabeçudos” para a cerimónia de entrega de Macau à China, em 1999, tendo ficado alguns deles no Museu de Etnografia daquele território. É de destacar, também, a construção do gigantone “Vilarinho” para contar a história da aldeia submersa de Vilarinho das Furnas, no Gerês.

A sua criatividade, alicerçada em bem estruturada execução artística, cuidadosamente elaborada e fundamentada num trabalho com mais de 40 anos na defesa das tradições da região, rege-se por elevados padrões de defesa do ambiente através da utilização de materiais recicláveis em mais de 80% das suas peças, tais como papel, tecidos, cartões, restos de madeira e outros, estando representada em colecões particulares em Portugal, França, Espanha e Estados Unidos. Tem sido igualmente apreciada em exposições realizadas em Vila Nova de Cerveira, Amarante, Barcelos, Murça, Ponte de Lima, Coimbra, Viana do Castelo, Paredes de Coura e Covilhã, entre outras.

Residente em Estorãos, concelho de Ponte de Lima, aqui instalou sua oficina/atelier, na Rua das Penas, onde tem uma exposição permanente dos seus trabalhos, que pode ser visitada por todos que a este género de arte dão seu apreço ou lhes suscite curiosidade. Daqui levarão, certamente, uma lição de conhecimento de como se executam as figuras e quais as técnicas aplicadas, o que faz não só na sua oficina como na formação de centenas de professores, animadores e dirigentes associativos, onde esta técnica tem sido ministrada.

 

Para saber mais sobre José Dantas Lima clique  AQUI

 

Ponte de Lima no Mapa

Ponte de Lima é uma vila histórica do Norte de Portugal, mais antiga que a própria nacionalidade portuguesa. Foi fundada por Carta de Foral de 4 de Março de 1125, outorgada pela Rainha D. Teresa, que fez Vila o então Lugar de Ponte, localizado na margem esquerda do Rio Lima, junto à ponte construída pelos Romanos no século I, no tempo do Imperador Augusto. Segundo o Historiador António Matos Reis, o nascimento de Ponte de Lima está intimamente ligado ao nascimento de Portugal, inserindo-se nos planos de autonomia do Condado Portucalense prosseguidos por D. Teresa, através da criação de novos municípios. Herdeira e continuadora de um rico passado histórico, Ponte de Lima orgulha-se de possuir um valioso património histórico-cultural, que este portal se propõe promover e divulgar.

Sugestões