Mário Leitão

 
Ver mais

Mário Leitão


 

Mário Leitão – António Mário Lopes Leitão – nasceu em 1949, na freguesia de Correlhã, concelho de Ponte de Lima.

Após o serviço militar em Angola, que cumpriu como furriel miliciano da Farmácia Militar de Luanda, em cuja Universidade iniciou o Curso de Medicina, acabou por concluir aos 32 anos a Licenciatura em Farmácia, na Universidade do Porto, depois de um percurso escolar contínuo como trabalhador-estudante.

Foi analista do Serviço de Patologia e coordenador do Serviço de Sangue do Hospital Distrital de Viana do Castelo durante a década de oitenta, acumulando com o cargo de professor convidado de Microbiologia Médica e de Farmacologia na Escola Superior de Enfermagem de Viana do Castelo.

Foi o fundador do GEICE - Grupo de Estudo e Investigação das Ciências Experimentais, que dirigiu de 1975 a 1985 (hoje Rádio GEICE).

Possui o Curso de Piloto Aviador pela Direcção-Geral da Aeronáutica Civil (1978).

Possui a Carta de Patrão de Alto Mar (2001).

É instrutor internacional de mergulho pela Professional Association of Diving Instructors e pela Scuba Schools International.

É monitor de mergulho amador pela Escola de Mergulhadores da Armada.

É monitor internacional de mergulho da CMAS – World Underwater Federations.

Foi Delegado Regional do FAOJ (Instituto da Juventude) em 1984/1985.

Foi sócio-fundador do Lions Clube de Ponte de Lima, em 1986.

Foi co-fundador da Associação Amigos do Mar, que dirigiu entre 1991 e 2001.

Tem sido palestrante em várias dezenas de colóquios em escolas oficiais.

Publicou cerca de 400 artigos em mais de uma dezena de órgãos de comunicação social, com destaque para a crónica semanal GENTE LIMIANA, que mantém desde 2011 no Jornal Cardeal Saraiva.

Foi director da REVISTA DO MINHO, da qual foi editado apenas o n.º 1, em Dez/1986.

Foi admitido com o n.º 741 na tertúlia LUIS GRAÇA & CAMARADAS DA GUINÉ, considerada a maior rede social portuguesa.

É autor dos seguintes livros:

BIODIVERSIDADE DAS LAGOAS DE BERTIANDOS E S. PEDRO D’ARCOS (Lions Clube de Ponte de Lima, 2012);

HISTÓRIA DO DIA DO COMBATENTE LIMIANO (Edição do autor, 2017);

HERÓIS LIMIANOS DA GUERRA DO ULTRAMAR (Edição do autor,  2018);

APRENDIZ DE MÁGICO (Astrolábio Edições, Março de 2022.

 

Bibliografia


1. Biodiversidade das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d’Arcos

Edição: Lions Clube de Ponte de Lima, 2012

Este livro descreve três aspectos fundamentais da história da Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos (APPLBSPA), única área protegida de jurisdição local existente no País, criada em 2000: a riqueza da sua biodiversidade, exibida em mais de 500 fotografias; as investigações que o autor fez durante 25 anos, sempre rodeado de equipas de jovens oriundos de associações ambientalistas, que foram decisivas para a classificação dessa zona húmida; e a proposta de criação do “Parque Biológico de Bertiandos”, que o autor apresentou no II Congresso Nacional de Áreas Protegidas, organizado pelo Instituto de Conservação da Natureza na Fundação Gulbenkian, em 1989.
“Sinto-me quase cúmplice do entusiasmo que animou o António Mário. Se as palavras que em tempos lhe dirigi serviram de alavanca ao seu entusiasmo e à sua iniciativa, posso sentir-me indultado dos trabalhos e fadigas em que o meti”.
FRANCISCO ABREU LIMA, Presidente da C.M.P.L. entre 1986 e 1990

 


2. História do Dia do Combatente Limiano

Edição do Autor, Junho de 2017

O livro descreve o que tem sido feito pelo Município de Ponte de Lima acerca da conservação das memórias dos militares limianos mortos ao serviço da Pátria, denunciado a inexistência de um monumento aos 27 que morreram na Primeira Grande Guerra e a reprovação feita pela Assembleia Municipal, na sessão de Dezembro de 2015, da proposta para a criação do Dia do Combatente Limiano, subscrita pelas mais representativas Forças Vivas do Concelho.

Transcrição:
“Quais teriam sido os fatores políticos, sociais ou culturais que determinaram que o Concelho de Ponte de Lima se tenha esquecido dos seus 27 Filhos que tombaram pela Pátria em terras da Flandres e em Moçambique, na Grande Guerra?
Qual é a magia perversa que ainda hoje, em plena comemoração do Centenário da Grande Guerra, continua a provocar esse esquecimento e a impedir que um monumento e uma lápide perpetuem as memórias desses Heróis Limianos?
Qual a razão que teria levado o Presidente da Câmara e 50 Membros da Assembleia Municipal de Ponte de Lima a rejeitarem a institucionalização de um dia comemorativo do sacrifício dos Limianos que perderam a vida em defesa de Portugal?”

 


3. Heróis Limianos da Guerra do Ultramar

Edição do Autor, Junho de 2018

“O primeiro objectivo deste livro é conservar as memórias dos nossos Rapazes que morreram ao serviço de Portugal, quarenta e cinco em teatros operacionais e oito no território continental, através da recolha dos seus elementos biográficos conhecidos.
O segundo propósito é homenagear o seu sacrifício e honrar as suas Famílias, que tanto têm sofrido com o abandono a que o Estado as condenou.”
Excerto da Introdução

“Nesta obra que acabamos de ler de um fôlego porque nos prendeu e arrebatou desde a primeira página, pelo seu aturado, rigoroso e profundo trabalho de pesquisa, Mário Leitão foi em busca das tão breves, mas sagradas vidas dos heróis que ofereceram a sua vida à Pátria. De um realismo profundo, esta obra foi escrita não apenas com o sangue dos eleitos, mas também com o coração do autor, como se tivesse ido ao teatro de operações à frente de um pelotão de busca e salvamento para resgatar esta gloriosa gente e para os devolver à memória colectiva limiana. Uma obra notável.”
LUÍS GONZAGA COUTINHO DE ALMEIDA, Coronel


4. Aprendiz de Mágico

Astrolábio Edições, Março de 2022

Este livro é apresentado como um romance autobiográfico, composto por 44 capítulos que desvendam histórias e memórias de acontecimentos pessoais vividos pelo autor.

“Lendo o Aprendiz de Mágico, coisa que se faz de uma penada, verificamos que não se trata de um vulgar livro de memórias autobiográfico, mas sim de uma reflexão que o autor faz sobre o sentido da vida, através de uma compilação de acontecimentos pessoais vividos pelo Mário e organizados de um modo peculiar. Qual tela preenchida por pinceladas de viva cor, numa mescla de realismo e impressionismo, a obra cativa o leitor da primeira à última página”.
AGOSTINHO CRUZ, Coronel

“De surpresa em surpresa, [Mário Leitão] brinda-nos agora com este sublime livro de curtas e saborosas histórias autobiográficas. Numa escrita simples, fresca e despretensiosa, que nos seduz e arrebata e que se lê de um fôlego. Um livro escrito com o coração, que é muito mais do que uma sentimental viagem aos mais extraordinários e extravagantes recantos da sua memória. É um autêntico hino à vida de uma personalidade multifacetada, rica, intensa e plural. De um sedutor divertido, que faz coisas seriíssimas com um sorriso nos lábios. O tal alquimista!”
LUÍS GONZAGA COUTINHO DE ALMEIDA, Coronel


Ponte de Lima no Mapa

Ponte de Lima é uma vila histórica do Norte de Portugal, mais antiga que a própria nacionalidade portuguesa. Foi fundada por Carta de Foral de 4 de Março de 1125, outorgada pela Rainha D. Teresa, que fez Vila o então Lugar de Ponte, localizado na margem esquerda do Rio Lima, junto à ponte construída pelos Romanos no século I, no tempo do Imperador Augusto. Segundo o Historiador António Matos Reis, o nascimento de Ponte de Lima está intimamente ligado ao nascimento de Portugal, inserindo-se nos planos de autonomia do Condado Portucalense prosseguidos por D. Teresa, através da criação de novos municípios. Herdeira e continuadora de um rico passado histórico, Ponte de Lima orgulha-se de possuir um valioso património histórico-cultural, que este portal se propõe promover e divulgar.

Sugestões